Arquivo de Tag: pensar o jogo

Entrevista com Edmilson Felipe

Desta vez o entrevistado é Edmilson Felipe, professor, pesquisador, escritor, poeta e corinthiano, não necessariamente nesta ordem. Pesquisa o riso. Doutor em Antropologia, atualmente é professor da PUC São Paulo em diversos cursos.… Continuar lendo

Entrevista com Nathan Cornes

Nosso entrevistado é o espanhol Nathan Cornes, roteirista, criador de jogos e cronópio incorrigível. Nathan Cornes é criador de jogos e escritor. Viciado em seres humanos, descobriu que o melhor jeito de fazer… Continuar lendo

Entrevista com Renata Gomes

Hoje publicamos a entrevista com Renata Gomes, doutora em Comunicação e Semiótica. Além de especialista em games e flamenguista fanática, também atua com educação, como professora e coordenadora de um programa de pós-graduação.… Continuar lendo

Lançar os dados no abismo

Desde que encontrei essa imagem, anos atrás, ele me olha do outro lado, desse buraco que imediatamente entendi como fechadura. Quantas chaves caberiam nessa porta imaginada, convite a olhar tantos mundos? Literatura e… Continuar lendo

Um octocopus anônimo

Esta história é sobre a Copa. E o personagem não é Paul, o octopus vidente que acertou todos os palpites que deu, atingiu fama súbita e se tornou o pai Dinah dos mares-… Continuar lendo

Entrevista com Marcelo Maluf

Para abrir os serviços temos o prazer de publicar a entrevista com o escritor, músico e educador Marcelo Maluf. Parte da inspiração para este seção vem do delicioso Labirintos no sótão, blog de… Continuar lendo

Nova seção de entrevistas!

Hoje inauguramos a seção de entrevistas deste blog. Elas serão publicadas quinzenalmente. Para conferir a lista dos entrevistados, é só entrar em Entrevistas, escolher e clicar para ler.

Alea jacta est

Neste primeiro lançamento, além dos dados, jogo o desejo de construir jogo. O jogo se constrói consentido. Todo jogo pressupõe regras, que se tornam lúdicas somente se consentidas pelas partes jogadoras – afinal,… Continuar lendo

Características da brincadeira

“A primeira característica é a que se refere ao faz de conta. É o que eu chamo de segundo grau. Toda brincadeira começa com uma referência a algo que existe de verdade. Depois,… Continuar lendo